scientifyRESEARCH
research funding database

Programa de comunicação de ciência do Conselho de Investigação da Estónia Rocket69: Perspetiva de Mare Vahtre – Coordenadora de Comunicação Científica

Share this post

Prefácio: A comunicação de ciência é um dos pilares de uma sociedade baseada na ciência, em que provas e factos apoiam a tomada de decisões. Nesta série “Perspetiva de um Comunicador de Ciência”, apresentamos as perspetivas de comunicação científica de especialistas de todo o mundo. Neste blogue, falamos com Mare Vahtre que é Coordenadora de Comunicação de Ciência no Conselho de Investigação da Estónia. Entre os projetos em que Mare está envolvida encontra-se o Rocket69, um concurso de talentos científicos para estudantes na Estónia. Todas as semanas, 10% da população da Estónia sintoniza o programa de televisão e, atualmente, um terço dos estudantes do ensino superior na Estónia estuda em STEM.

Olá Mare! Fale-nos mais sobre si e sobre a forma como chegou ao Conselho de Investigação da Estónia. Porquê a comunicação de ciência em específico?

Tenho formação em engenharia genética e participei em alguns concursos científicos enquanto estudante. Quando fiz a minha licenciatura em ciências na Universidade de Tartu, apercebi-me de que me entusiasmava mais falar sobre ciência do que a ciência em si. Comecei a minha carreira na área da comunicação como especialista em comunicação na Universidade de Tartu e, a partir daí, tive a oportunidade de me juntar à equipa de comunicação de ciência STEM do Conselho de Investigação da Estónia, porque tenho formação científica e experiência em comunicação. No Conselho de Investigação da Estónia, sou a coordenadora do programa TeaMe+, que é financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e que procura divulgar as áreas STEM (ciência e engenharia) junto de estudantes e jovens. Temos um website e uma forte presença nas redes sociais.  Temos diferentes públicos-alvo. Entre os estudantes, temos aqueles que se interessam pela ciência e aqueles que não se interessam pela ciência. O grande objetivo é ter mais estudantes nos domínios da ciência e da engenharia e – em última análise – uma sociedade científica. É por esta razão que queremos levar a ciência a todos, porque temos de tomar decisões com base na ciência e nos factos e não apenas nas emoções.

Rocket69 teve um impacto incrível nos talentos STEM na Estónia, juntamente com um elevado nível geral de confiança na ciência e nos cientistas da população Estónia. Como começou? E quais foram alguns dos obstáculos para o sucesso?  

De facto, o Rocket69 foi um enorme sucesso para nós. O programa de televisão começou cem 2011. A ideia surgiu de entusiastas da ciência de uma organização de física e o formato de televisão foi criado em colaboração com diferentes parcerias incluindo o Conselho de Investigação da Estónia, cientistas e a Organização Nacional de Emissão de Televisão. Penso que os primeiros anos foram bastante difíceis devido a este novo formato e, embora tivéssemos boas ligações, também tivemos de convencer as pessoas de que esta competição em formato televisivo seria um sucesso. O lado bom é que já tínhamos alguns programas científicos na televisão e isso serviu-nos de base. Desta forma, a partir de pequenas coisas podíamos crescer mais. Atualmente, o Rocket69 não é apenas um programa de televisão, também dispõe de informações complementares, que os professores podem utilizar nas suas salas de aula.

Que conselho daria aos novatos em comunicação de ciência, especialmente a investigadores que estão interessados em partilhar a sua investigação com o público?

A meu ver, o principal concelho é definir qual é o público-alvo com quem pretende falar e transmitir a mensagem no local certo. Por exemplo, no nosso caso, o nosso público-alvo são os estudantes mas, dentro deste grupo, existem algumas diferenças importantes. Especificamente, os estudantes interessados em ciência muitas vezes não utilizam as redes sociais. Por outro lado, os estudantes que não estão interessados em ciência estão no TikTok e no Instagram. Assim, pode ver-se que os canais que utilizamos são bastante diferentes, mesmo quando, à primeira vista, podemos pensar que os estudantes pertencem a um grupo homogéneo.

Por isso, deve pensar na mensagem, qual o objetivo, e qual o melhor meio para transmitir essa mensagem.

Outro conselho importante é que devemos ser flexíveis. Isto é algo que aprendi no ano passado. Mesmo que um meio esteja a funcionar neste momento para atingir um público-alvo, pode não ser o caso no próximo ano. Por isso, é preciso ajustar e adaptar as estratégias. Tenha também em conta o tempo necessário para uma comunicação de ciência eficaz. Devido a todos os aspetos necessários para uma comunicação científica eficiente, nós, no Conselho de Investigação da Estónia, colaboramos com os investigadores para facilitar a comunicação dos resultados da investigação. Normalmente, os financiadores deixam a comunicação científica nas mãos dos investigadores. A nossa abordagem é colaborativa, pois sentimos que todos podemos fazer melhor se colaborarmos. Acreditamos que a chave para o sucesso em tudo é a colaboração, e o mesmo se aplica à comunicação de ciência.

Há mais alguma coisa que gostaria de partilhar com a comunidade de comunicação científica?

Tal como a colaboração é fundamental para o sucesso, também acreditamos que a partilha de experiências é igualmente essencial para o sucesso a longo prazo. Estamos muito orgulhosos do que alcançámos com o Rocket69 e os nossos outros programas, mas também estamos muito recetivos a novas ideias. Queremos muito partilhar as nossas experiências. Diria que se é um entusiasta da comunicação científica, quer seja um profissional de comunicação de ciência ou “apenas” um investigador, gostaríamos de o ouvir e de trocar ideias consigo.

Agradecimentos

Agradecemos a Mare Vahtre por ter partilhado connosco conselhos sobre a comunicação científica em nome do Conselho de Investigação da Estónia.

Would you like to be featured on our blog?

Get in touch with us!

phd student funding

Sign-up for our monthly
research funding newsletter

you can unsubscribe at any time